A Revolução Tecnológica do Grafeno

O mundo tecnológico está prestes a utilizar a nova era onde o grafeno irá ser a matéria-prima, após anos utilizando o silício.
Se você não acredito, veja os 6 motivos pelos quais o grafeno promete melhorar e mudar para sempre os nossos dispositivos eletrônicos:

O que é o grafeno?

Ele é um material já em investigação há tempos. No fundo é uma forma de carbono onde os átomos são alinhados de forma a criar um material ultra-fino, resistente, maleável e condutor de eletricidade

Já dá pra ter uma noção das potencialidades do grafeno e se pensarmos que marcas como a Samsung, Nokia, IBM ou mesmo a Intel estão investigando minuciosamente o tipo de carbono, então, perceberemos que este é um material promissor.

Mas quais são as vantagens e por qual razão se deposita tanta esperança neste novo material?

Flexibilidade incrível

Segundo estudos, este material possui uma flexibilidade impressionante, que chega ser a comparada a de uma borracha: pode ser dobrada sobre si própria sem partir.

Alías, tal como a borracha, o grafeno pode ser esticado 20% sem quebrar.

E ainda continuar a conduzir eletricidade. O silício, por exemplo, apenas consegue ser esticado 1% antes de quebrar.

Sabendo disto, é fácil prever dispositivos que se dobrem e já existem empresas que têm levado a cabo as experiências com transístores de grafeno de modo a poder levar para outro nível as telas flexíveis.

Material à prova de água

Sem dúvidas, o maior problema enfrentado por fabricantes de aparelhos eletrônicos é a água. Atualmente, temos visto chegar a cada vez mais dispositivos à prova de água, como o novo Samsung Galaxy S5 ou o Xperia Z1 da Sony sendo que estes aparelhos recorrem a técnicas para impedir a água de entrar em contato com os circuitos.

No caso do grafeno não é necessária a preocupação pois o material é totalmente à prova de água, não oxidando quando submerso, permitindo imaginar equipamentos mais resistentes e dispositivos wearables que possamos realmente levar para todo o lado.

Ultra-fino e ultra-leve

Além de ser incrivelmente flexível e à prova de água, o grafeno também é o mais fino e leve material descoberto. Sendo uma estrutura de apenas um átomo de espessura, uma grama de grafeno pode cobrir um campo de futebol inteiro.

Essas descobertas levam a outro patamar de avanço tecnológico, pois assim será possível criar dispositivos cada vez mais leves e finos. Para provar isso, foi feito um experimento com um pedaço de grafeno sendo colocado em cima de uma pétala de flor e esta nem se quer mexeu.

Agora imagina isso aplicado em um smartphone ou um tablete que podem ser pouco mais espessos que uma folha de papel e depois serem dobrados quando não utilizados.

Mais forte que o aço

Então, se é fino, leve e flexível, isso significa que não é muito resistente, certo? Errado.
Esta é mais uma das fantásticas propriedades do grafeno: trata-se de um material mais forte que o aço! E não é por pouco pois já existem estudos que indicam que o grafeno é 200 vezes mais resistente que o aço.

Essa resistência deve-se à forma como os átomos de carbono que compõem o grafeno são “arrumados”. O formato em favos de mel permite-lhe ter todas as propriedades acima referidas mas sem descurar a resistência e tendo apenas um átomo de espessura trata-se de um material realmente muito muito fino.

Propriedades elétricas nunca vistas

Se você ainda não está convencido que o grafeno é revolucionário, então saiba que ele é também um dos melhores, senão mesmo o melhor, condutor de eletricidade conhecido até o momento.
Além das propriedades de condução excelentes numa larga gama de temperaturas, o grafeno também pode ser utilizado em baterias com um desempenho que faça com que não precisemos de recarregar os nossos dispositivos móveis tantas vezes.

Aliás, há relatos de que foram concluídos com sucesso testes numa bateria construída em grafeno que demora apenas 15 minutos a ser carregada e consegue manter um smartphone em funcionamento durante uma longa semana.

Interação com elementos biológicos

A última razão pela qual o grafeno é com certeza um elemento chave no futuro da tecnologia é a sua capacidade em interagir com corpos vivos.
De arcodo com o Dr. Aravind Vijayaraghavan  da Universidade de Manchester, o grafeno tem potencial suficiente para ser utilizado em sensores que possam se ligar ao nosso sistema nervoso ou mesmo “falar com células”.
Se pensarmos que estamos vendo a cada vez mais dispositivos ligados à área da saúde então a utilização do grafeno poderá mesmo revolucionar esta área.

O futuro está no grafeno

Como vimos o grafeno é um material cujas aplicações são quase infinitas. Já existem muitas empresas e universidade produzindo e pesquisando formas de o aproveitar da melhor maneira possível. Recentemente, vimos a Samsung afirmar que encontrou uma forma fácil, barata e segura de o produzir.
Ou seja, estamos dando passos importantes no domínio deste novo material e, com os resultados dos estudos que estão sendo feitos, é bem provável que daqui uns anos o grafeno faça parte da nossa vida e venha mesmo revolucionar a tecnologia tal como a conhecemos.

FONTES:
http://www.revolucaodigital.net/2014/04/17/6-razoes-grafeno-futuro/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *